Introdução alimentar do bebê: saiba como fazer

03 nov 22Dicas

E eis que chega o tempo de fazer a introdução alimentar do bebê. O que antes era só dar de mamar, agora começa a se modificar, trazer dúvidas e até alguns receios para mamães e papais de primeira viagem.

Antes de mais nada, é preciso estar junto a um pediatra da sua mais inteira confiança. A parceria médico e pais é fundamental para a criação de um bom plano de introdução alimentar do bebê.

Neste artigo, vamos dar algumas dicas, mas reforçamos a importância de conversar com seu pediatra. Caso não tenha um ainda, procure na rede credenciada da Exmed.

O que é a introdução alimentar

Segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde, e o Ministério da Saúde, até os seis meses de idade o bebê deve se alimentar somente do leito materno (salvo raras exceções), já que este oferece todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento saudável da criança, além de fortalecer o vínculo afetivo com a mãe.

A partir do 6º mês, o leite materno segue sendo importante, mas precisa de um reforço para uma nova etapa evolutiva do bebê, tanto cognitiva quanto referente ao desenvolvimento do paladar. Os alimentos sólidos começam a ser apresentados.

Além do período, ou idade da criança, outras observações precisam ser feitas para só então dar início à introdução alimentar: se o bebê já consegue ficar sentado sozinho, se é capaz de segurar a cabeça e levar os alimentos até a boca. Lembre-se sempre das consultas mensais necessárias ao pediatra e de relatar todas essas questões.

Situações comuns durante a introdução alimentar do bebê

A ansiedade dos pais nesta fase é muito comum. Há toda uma expectativa se a criança vai ter problemas ou não para comer bem e com preferências saudáveis. Por conta disso, paciência e respeito ao tempo da criança são fundamentais para evitar frustrações.

Algo muito comum de acontecer, por exemplo, é você oferecer algo, e a criança rejeitar em um primeiro momento. Não há problema nisso. Ela está experimentando os sabores. Não insista. Dê um tempo e ofereça novamente, ela vai acabar gostando.

Medo de o bebê engasgar-se também é natural, por isso, retire caroços de frutas, veja bem o tamanho ou quantidade que oferece, mas, sobretudo, tenha calma durante o processo.

Os alimentos mais importantes durante a introdução alimentar do bebê

Para iniciar a introdução alimentar, os pediatras recomendam oferecer uma variação que ofereça nutrientes macros e micros, ou seja, proteínas, carboidratos e gordura, além de ferro, zinco e vitaminas.

Em termos práticos: hortaliças, frutas, carnes, ovos, cereais, raízes e grãos. Mas atenção, não é de uma vez, é de mês a mês. Doces, frituras e enlatados deveriam ser banidos de qualquer cardápio, mas a gente sabe que não funciona bem assim, contudo, evite até pelo menos os dois primeiros anos de vida.

A hora da refeição deve ser de muita atenção. Neste sentido, é bom evitar telas e brinquedos enquanto a criança vive a experiência junto ao alimento. É preciso igualmente que haja prazer na experimentação de sabores. Por isso, nada de punição, porque a criança sujou a roupa ou o chão. Isso fica para outro momento da vida dela.

A introdução alimentar dita muito o quanto saudável ou não poderá ser a alimentação da sua criança quando crescer. Conte com o apoio de um especialista em nutrição pediátrica e esteja sempre em parceria com o pediatra do seu bebê.

Com apetite!

Assine a nossa newsletter para receber conteúdos como este no seu e-mail.

Fique por dentro das novidades para uma vida saudável: assine nossa newsletter.

Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Exmed.